Suor

teus lábios
teu beijo
e o suor do teu rosto
o gosto de tua língua
e o calor de teu halito

nua em meus braços
tuas coxas em minhas coxas
e no nó da tua garganta
embaraçado em minhas veias

te sentir
ofegar
respirar no ritmo do teu pulsar
a pressão do teu sangue
a circular nas minhas veias

Um comentário:

João Krustin Guimarães disse...

...e pequenas poesias brotam no meio da mistura. O dois vira um e o um vira verso.