De uma brincadeira. eu e ela. uma poesia

Está bem, eu vou embora
Pra onde? Pra longe
para o fim dos meus pesadelos,
para o horizonte dos teus olhos

Não vá!
Mas por que?
Eu preciso, eu peço,
e você, está na cara, não me quer mais aqui.

Mas eu não quero você lá.
Então dê-me a resposta, para onde eu devo ir?
O que você tem contra ficar aqui?
Me acostumei
Então não posso fazer muito além de deixá-la ir


Ela

Um comentário:

João Krustin Guimarães disse...

O processo de abdicar de terceiros é um pouco mais complexo, menina.