Vanessa

Fazia tempo que não conversávamos daquela maneira. Nos últimos meses ela estava tão fria comigo que eu nem acredito que passamos a noite deitados juntos, falando besteira e ouvindo jazz. Ela me contou sobre a viagem à Grécia e o fim do noivado. Eu lhe contei as peripécias da faculdade e como a família de virou sem ela para intermediar as discussões. Só não tive forças para lhe contar como foi difícil passar esse último ano sem ela. Mas, pouco antes das 4 da manhã, ela me surpreendeu com a pergunta:
- ô Rafael, cê ainda em ama?

2 comentários:

Gabriela Marques disse...

Ô Rafael, ela ainda te ama.

Delicioso conto!
Beijo doce.

João Krustin Guimarães disse...

"...e após aquele domingo inesquecível, ela perguntou se eles estavam namorando. Ele respondeu que não sabia.

Ele não queria que ela perguntasse.
Eles estavam.
Ela não queria a resposta que ele deu.
Eles estavam.
Mas no final das contas, os dois sabiam que estavam. E estavam completando dezoito horas de namoro."

Só respiro inocência com suas palavras.