Prazer em conhecer

Árvores, pássaros, flores. O parque John Stefan era um ótimo lugar para passar o tempo, ou mesmo para ver o tempo passar. Pensei que seria perfeito terminar a leitura do ultimo livro que peguei emprestado na biblioteca. [...]
O livro permanecia em minha frente, em minhas mãos, mas era claro que eu não mais o lia. Primeiro por que ele estava a um distancia que minha miopia não mais me permitia ler. Além do que, meu olhar estava distante, na outra margem de vinte oceanos. Na verdade eu não fazia a menor idéia do que eu pensava, mas tinha a certeza de que onde quer que estivesse, era bem longe dali. [...]
Estava tão absorta nesses meus pensamentos que não reparei que alguém se aproximava. Ele parou à minha frente, e disse:
– Desculpe-me por interromper sua contemplação, mas, posso me sentar ao seu lado?
– Hã? Desculpe, eu não estava prestando atenção. O que você disse?
– Perguntei se posso roubar a atenção dos seus pensamentos. – e sorrindo continuou – Permite que eu me sente ao seu lado?
– Claro – dito isto, peguei o marcador do banco. E, depois de marcar a página que lia, fechei o livro. – Prazer, Laisa.
– Robert.

2 comentários:

Thi Perini disse...

Poutz! Quando eu comecei a ler o texto não achei que o título diria respeito ESTRITAMENTE ao "prazer em conhecer". Não achei que acabaria aí, justamente no ponto em a "mocinha" era apresentada ao estranho.

Fiquei muito curioso, querendo saber o quê que rolou depois dessa apresentação, pô!
Muito curioso mesmo! Não se faz isso com um pisciano. Pode escrever agora um post chamado "prazer em conversar" ou qualquer coisa do tipo... mas pelamordedeus conta como continuou esse encontro!!!

Heloisa disse...

Adorei o encontro, vai ter continuação?
Espero que sim :D