Mas não

- Olha, eu só tô ligando pra dizer que eu não me arrependo de nada do que eu disse ontem. E que realmente acho que seri melhor cada um seguir seu próprio caminho.

Foi assim que ela arrasou meu coração. Esmagando a frágil esperança de que naquela ligação ela dissesse para esquecer a briga, dissesse que me amava que me queria de volta. Mas ela não disse.

Ela terminou dizendo que ia dar um tempo pra eu me recuperar e depois ia buscar as coisas em nossa casa no Rio Vermelho. Ela disse que ia voltar para o apartamento no Imbuí. Ela disse que tudo ia ficar bem. Mas eu não acreditei em nada do que ela disse, por que ela disse que me amava.

Eu quis xinga-la de todos os nomes possíveis. Eu quis chamá-la de mentirosa. Quis perguntar o que aquele ser frio tinha feito com minha noiva. Quis implorar perdão, que me perdoasse pelo erro que ela cometeu. Quis mata-la. Quis pelo menos bater o telefone. Mas não fiz nada disso. Assenti, e esperei ela desligar.

Ela veio, uma semana depois. Bateu na porta, disse que tinha perdido a chave. Parado à porta do quarto, me senti mas um móvel ao vê-la arrumar as coisas. Ela, concentrada em juntar tudo que havia comprado do próprio bolso, sequer olhou meu rosto. Nem sequer viu meu desespero mal contido nos olhos marejados. Meus olhos que quase gritavam o grito que a garganta, doída, não tinha mais forças pra deixar sair. O grito que dizia: 'não me abandone!' Mas não gritei.

Ela se foi. E já fazem dois meses que vivo de pão, chocolate, vodka e rum. Mas não morri. Ainda.

3 comentários:

Nicolas disse...

Musas são tão difíceis. São sensacionais, mas tem um gênio impossível. E basta elas irem embora pra vc perceber que se tornou dependente. Elas são muito más. Adorei o texto. E vou visitar seu outro blog, gata.

Obs: Laísa, se existisse algum tipo de prêmio para o comentário mais sexy da história, o seu ultimo comentário no meu blog ganharia disparado! Aquilo foi foda! Sério! Rs

Sr. Reticente disse...

É fogo!!!!

Thais, The Wanderer disse...

Sinceramente, incrível.
Palmas e mais palmas.

Texto altamente expressivo.
Senti a dor.

Beijos, Laisa.